Notícia

Notícia (91)

Presidente faz balanço da gestão 2017-21

Segunda, 21 Dezembro 2020 12:05

Entrevistado pela TV Unesp no 'Gestão Unesp', professor Edson Luiz Furtado falou sobre os desafios e conquistas no quadriênio à frente da Fundação

 

Por Assessoria de Imprensa e TV Unesp

 

Diretor-Presidente da Fundunesp, o professor Edson Luiz Furtado foi o entrevistado desta segunda-feira (21) na nova temporada do “Gestão Unesp”, da TV Unesp.

Na oportunidade, o professor Furtado apresentou o balanço final das atividades do quadriênio 2017-2021 e comentou os desafios e conquistas em diferentes ações realizadas nos  últimos quatro  anos na Fundação.

Devido às recomendações sanitárias para o enfrentamento da Covid-19, a entrevista foi conduzida pela jornalista Mayra Ferreira de forma remota, por meio da ferramenta do Google Meet.

Abaixo, os tópicos abordados na entrevista que está disponível:

- no canal do YouTube da TV Unesp (https://www.youtube.com/c/tvunesp/videos) e

- no site: https://tv.unesp.br/gestaounesp

 

TV Unesp: Qual Fundunesp tínhamos no início da gestão?

Prof. Furtado: Percebemos a existência de um conflito inicial e de questionamentos, como: Por que tanta verba é repassada da Unesp para a Fundunesp anualmente? Porque a Fundunesp precisa constituir uma reserva financeira? E do que ela é constituída? Por que a Fundunesp cobra para executar os projetos da Unesp se a verba já foi repassada? Existia um distanciamento e incompreensão por parte da comunidade sobre o que é e o que faz uma fundação de apoio. Tivemos que, inicialmente, adotar várias medidas e informações, via folders, modificações no site, criar um canal de comunicação com os coordenadores, criar o setor de transparência no site e, por último, a contratação de uma assessoria de imprensa.

Nesse interim, tivemos a comemoração dos 30 anos da Fundunesp e aproveitamos a oportunidade para fazermos um evento cultural e científico, tendo membros da comunidade da Unesp e representantes dos órgãos financiadores de pesquisa (FINEP, FAPESP e CNPq) e da Confederação das Fundações das Instituições de Ensino e Pesquisa (CONFIES), coordenado pela professora Vanderlan Bolzani, vice-presidente na Fundunesp na época.

Numa outra oportunidade, solicitamos a inserção da Unesp e Universidades Públicas, via CRUESP, na discussão do decreto do Marco Legal Paulista para a Ciência e Tecnologia. Atendida pelo professor Sandro Valentini, o reitor da Unesp, que estava como presidente do CRUESP. O mesmo criou um Grupo de Trabalho com membros das Fundações e das AJs das três Universidades (Unesp, USP e Unicamp), que fez a revisão do texto que foi assinado por Geraldo Alkmin, então governador, em setembro de 2017.

Sobre a rede de fundações Unesp...

Prof. Furtado: O marco Legal é centrado na tripla hélice: Universidade-Sociedade-Fundação de Apoio. Esta última constitui o elo entre os dois primeiros componentes rumo a inovação científica e tecnológica e ao empreendedorismo na Universidade. Considerando as características multi-campus da Unesp, as suas unidades ficariam melhor atendidas e aptas para aplicação do Marco Legal contando com as Fundações localizadas diretamente nos Campi (14) e a Fundunesp na capital.  Outro intuito da Rede é que as Fundações se conheçam e troquem informações para uma padronização de conduta diante do Marco Legal.

Quais projetos em andamento?

Prof. Furtado: Temos mais de 120 projetos em andamento, nas diferentes área de atuação: Ciências Agrárias, Biológicas, Saúde, Exatas e da Terra, sendo esta última a com maior número, que são 25. Temos ainda projetos nas Ciências Sociais, Educação, Engenharias e Multidisciplinares, com diferentes unidades da Unesp da capital e do interior.

Durante a pandemia, quais foram as ações de pesquisa e suporte e gestão de projetos?

Prof. Furtado: Durante a pandemia e devido ao isolamento social necessário e obrigatório, muitos projetos não se iniciaram, outros foram deixados em stand by e alguns cancelados, resultando em resultados negativos para a Fundação em número e valores de projetos, o que está causando impacto nas contas da Fundação este ano.

Internamente, para mantermos a casa em funcionamento, seguimos o decreto do governador, primeiro afastando os funcionários com comorbidades, adotamos o trabalho a distância (home office) e, em junho, abrimos o escritório para trabalho presencial com apenas os coordenadores. Em seguida, o trabalho presencial foi possível para todos com adoção das medidas profiláticas: distanciamento, uso de álcool gel e máscara.

Por outro lado, iniciamos a gestão de projetos para combate ao Covid-19 e entendimento de sua epidemia. Para isso, a Unesp fez o credenciamento de três laboratórios junto a Secretaria da Saúde para o diagnóstico do SARS-Cov 2, em Botucatu, Araraquara e São José do Rio Preto, e fez uso, não só para a análise da comunidade, como também para prestar serviços. Dentro disso, a Pró-reitoria de Pesquisa nos solicitou a interveniência em projeto com a Embraer, que estava doando 40 mil testes para os municípios de S. José dos Campos, Araraquara e Botucatu. Onde os três laboratórios, mais um laboratório do Hemocentro do Hospital das Clínicas de Botucatu, fizeram um excelente trabalho, em tempo recorde, na detecção precoce deste agente viral. Uma ação importante da Universidade numa prestação de serviços num ponto crítico da pandemia, que é a testagem em massa da população.

Também temos que lembrar do apoio irrestrito à TV Unesp, para sua atuação e expansão, desde o início desta gestão com conquistas importantes, a citar: transmissão do sinal para Botucatu, acordo com TV Cultura, onde podendo transmitir resultados de pesquisa da Unesp para todo o país, e estabelecer linha de captação de recursos via emendas parlamentares.

Neste ano a Fundunesp também adotou a política de integridade, que acabou premiada pelas boas práticas de gestão. Comente sobre isso.

Prof. Furtado: A Fundunesp sempre primou pela qualidade dos serviços prestados, com a obtenção e sustentação da ISO 9001:2015, que norteia a padronização de condutas e procedimentos. Agora, complementa com o Programa de Integridade e boas práticas (também chamado de Programa de Compliance), que é um guia para a conduta ética, íntegra e transparente que norteia as boas práticas dos gestores da Fundação, os colaboradores, parceiros e fornecedores .

O programa foi iniciado em 2019, passou por várias etapas, estabelecendo o código de ética, regulamentação, indicação dos membros, alteração do estatuto e finalmente a aprovação pelo Conselho Curador.

E esse programa ficou em segundo lugar no “Prêmio Boas Práticas de Gestão das Fundações de Apoio” oferecido pela Confies (Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica), durante seu terceiro congresso anual. Uma alegria para toda equipe da Fundunesp, que atuou nas fases de estudo e implementação, composta pela Vice-presidência da Fundunesp, Gerência Administrativa e Assessoria Jurídica.

Sobre o repasse de recursos da Unesp para a Fundunesp, e quais as outras formas de financiamento?

Prof. Furtado: De longa data, existe um convênio genérico entre a Unesp e a Fundunesp, ou podemos chamar de convênio guarda-chuva, que envolve apoio ao Programa de Desenvolvimento Institucional e outras atividades que envolvem um grande número funcionários contratados que atuam em diferentes projetos deste convênio. Em 2016, este repasse era da ordem de R$ 26 milhões, passando para R$ 21,5 milhões em 2020 e com proposta de R$ 19 milhões para 2021.

No inicio de nossa gestão, esse montante representava mais de 50% dos nossos projetos e, atualmente, representa pouco mais de 35% dos contratos e convênios da Fundunesp.

Mas o que deve ficar claro para toda a comunidade é que esse repasse não é para a subvenção ou manutenção da Fundação, mas sim para o custeio do convênio. E que o custeio e investimentos da Fundação são conseguidos por uma pequena percentagem dos valores dos contratos e convênios denominados de Despesa Operacional e Administrativa (DOA). É através da DOA que garantimos o nosso financiamento e doações para realização de eventos e apoio a Universidade da Terceira Idade (Unati), conhecidos por todos.

Como é estruturada a equipe de trabalho e gestão de RH em áreas da Unesp?

Prof. Furtado: O recurso humano da Fundunesp é constituído por funcionários próprios, ou que atuam no funcionamento da Fundunesp e por funcionários de contratos e convênios. No primeiro grupo temos 27 funcionários e no segundo já chegamos a ter mais de 250. Destes, a maioria para atuar dentro do convênio Unesp. Em 2017, tínhamos 250 e em 2020 foram 113.

Esta redução foi obrigatória em função, primeiro, da crise econômica, e depois para dar atendimento a TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) entre a Unesp-Fundunesp e MPT (Ministério Público do Trabalho) de Bauru, cuja proposta é que essa modalidade de contratação seja extinta até 2022. E cujos candidatos a reitor, dentre eles a chapa vencedora (Pasqual-Maysa), foram sensíveis a esta questão e se comprometeram a buscar soluções conjuntas.

Neste ano a Fundunesp também mudou para sua sede própria. Como foi esse processo?

Prof. Furtado: A mudança para a nova sede ou sede própria, também foi para dar cumprimento a uma TAC entre a Fundunesp e a Curadoria de Fundações do Estado de SP. Faltava decidir quanto teríamos para investir, quando fazer e para onde mudar.

Utilizando recursos próprios, iniciamos a conversação em 2018. No ano seguinte, procuramos um serviço especializado de imobiliárias e, encontrado o prédio, fizemos consultas à Reitoria, Conselho Curador e Fiscal e ao próprio MP. Depois das aprovações, compramos e iniciamos as reformas necessárias.

Começamos as mudanças em junho, depois do relaxamento das medidas de quarentena ao Covid, e ouvidos o nosso comitê interno. Para funcionamento presencial, seguimos todas as recomendações de prevenção, adicionadas da testagem de todos os funcionários a cada 25 dias.

Qual o legado desta gestão?

Prof. Furtado: O maior legado é o pessoal e que levo comigo, o aprendizado, o dever cumprido, com honestidade e dentro da legalidade.

Fora isso, temos hoje uma Fundação melhor em todos os aspectos: na sua estrutura física, no seu aspecto administrativo e de conduta interna e externa, no seu corpo técnico, com plano de carreira, o trabalho realizado em equipe e com integração.

Contamos com um escritório amplo e moderno, e também um programa de compliance digno de prêmio.

Gostaria de agradecer, em meu nome e do professor Max José de Araújo Faria Junior, vice-presidente, a todos que confiaram em nós, para esta gestão.

Ao reitor e vice-reitor da Unesp e aos respectivos gabinetes; aos funcionários da Fundunesp, que não mediram esforços pra realizarem o melhor trabalho; aos meus professores substitutos que não descuidaram dos nossos alunos de graduação; aos meus alunos da pós-graduação, que apesar da distância continuaram suas pesquisas e seus estudos, com paciência para discutirmos os resultados e metas apenas no fins de semana; aos nossos familiares e por fim a vocês equipe da TV Unesp, que sempre nos deram apoio na divulgação e cobertura dos eventos.

Unesp: Pasqual e Maysa são nomeados

Segunda, 07 Dezembro 2020 13:15

Governador João Doria endossou o resultado da consulta pública à comunidade universitária; reitor e vice-reitora eleitos assumem em janeiro de 2021 para um mandato de quatro anos

 

 

Por ACI Unesp

 

O governador João Doria (PSDB) nomeou o professor Pasqual Barretti e a professora Maysa Furlan, respectivamente, reitor e vice-reitora da Unesp para um mandato de quatro anos, a ser iniciado em janeiro de 2021. O decreto de nomeação foi publicado neste sábado (5) no Diário Oficial do Estado de São Paulo e endossou o resultado da consulta pública feita à comunidade universitária em outubro de 2020, da qual saiu vencedora a chapa encabeçada pelos docentes.

Pasqual Barretti é médico nefrologista, administrador hospitalar e docente da Faculdade de Medicina (câmpus de Botucatu). Maysa Furlan é química, pesquisadora na área e docente do Instituto de Química (câmpus de Araraquara). Ambos se graduaram na Unesp e já dirigiram as unidades universitárias a que estão vinculados na Universidade.

A cerimônia de posse será em 14 de janeiro de 2021 e seus detalhes serão definidos de acordo com o cenário epidemiológico do mês que vem, seguindo as diretrizes estabelecidas no Plano São Paulo. Em função da pandemia de Covid-19, estão sendo avaliados alguns cenários para a realização do cerimonial. Nos cenários em que a cerimônia possa ser presencial ou híbrida, com número reduzido de pessoas, a posse deverá ocorrer na capital paulista, no Memorial da América Latina ou no próprio Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. O processo de transição será iniciado na próxima semana. 

“Nós já estamos com a equipe preparada para a transição. Teremos quatro semanas para efetuá-la da melhor maneira possível, seguindo os princípios que regem a administração pública, em especial a ética e a transparência”, afirma o reitor Sandro Roberto Valentini, que deixa o cargo em janeiro.

Sustentabilidade: Centro de Pesquisa é inaugurado

Segunda, 07 Dezembro 2020 11:02

Unidade vinculada ao Depto. de Produção Vegetal e à FCA da Unesp de Botucatu vai trabalhar com plantas geneticamente modificadas; o projeto foi todo financiado pela FINEP em convênio com a UNESP e interveniência da Fundunesp

 

 

Com informações da ACI-Unesp

 

 

Botucatu - Foi inaugurado na última quinta-feira (03/12), na Fazenda Experimental Lageado, em Botucatu, o Centro de Pesquisa em Sustentabilidade Agrícola com Plantas Geneticamente Modificadas. Vinculado ao Departamento de Proteção Vegetal da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) da Unesp, o espaço conta com equipamentos para diagnostico, monitoramento, transformação e impacto ambiental de plantas geneticamente modificadas que foram adquiridos via convênio FINEP-UNESP, com a gestão financeira e administrativa da Fundunesp.

Presente na solenidade, o diretor-presidente da Fundunesp, professor Edson Luiz Furtado, explica que o financiamento da Finep é imprescindível para propiciar estes ambientes inovadores de pesquisas na Universidade, e que a Unesp foi contemplada em função de possuir pesquisadores de alto gabarito e com atuação com pesquisas de impacto.

“A criação desse Centro de Pesquisa tem como objetivo diagnosticar as transformações e avaliar o impacto ambiental das plantas geneticamente modificadas, visando a redução do uso de agrotóxicos para, assim, maximizar a sustentabilidade dos fatores de produção agrícola”, detalha.

O evento de inauguração também contou com a presença do reitor da Unesp, o professor Sandro Roberto Valentini, que comemorou a inauguração do Centro. “É uma satisfação participar de uma inauguração que representa mais uma melhoria de infraestrutura para grupos de excelência da Unesp. Juntamente com a USP e a Unicamp, nossa universidade compõe o melhor grupo formador de recursos humanos em nível de graduação e pós-graduação do país. Essa melhoria de infraestrutura, com apoio da Finep, certamente resultará em mais qualidade na formação dos alunos. Agradeço a equipe da Pró-Reitoria de Pesquisa e fico feliz pelo reconhecimento da Finep da importância dos estudos desenvolvidos aqui. Agradeço a FCA na pessoa do professor Wilcken, por ser uma unidade universitária que tem uma alta densidade na qualidade das pesquisas produzidas e por estar enfrentando a crise de frente. Esse momento prova nossa capacidade de resiliência e de superar desafios”, disse o reitor ao portal da Unesp.

Ainda participaram da solenidade os pró-reitores da Unesp, Carlos Frederico de Oliveira Graeff (Pesquisa) e Gladis Massini-Cagliari (Graduação); o diretor da FCA, Carlos Frederico Wilcken; o atual vice-diretor e diretor eleito da FCA, Dirceu Maximino Fernandes e o vice-diretor eleito da FCA, Caio Antonio Carbonari; a assessora da Pró-Reitoria de Pesquisa, Ana Paula Rosifini Alves Claro; o assessor do Gabinete da Reitoria, José Paes de Almeida Nogueira Pinto; o diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp, Celso Antonio Rodrigues; a diretora da Faculdade de Medicina da Unesp, Maria Cristina Pereira Lima; o diretor do Instituto de Biociências da Unesp, Cesar Martins; o diretor vice-presidente da Fundunesp, Max José de Araújo Faria Junior; além dos docentes responsáveis pelo Centro de Pesquisa: professores Regiane Cristina Oliveira de Freitas Bueno e Carlos Gilberto Raetano; e pela FINEP, Miguel Brito de Andrade.

À Unesp, o professor Wilcken, diretor da FCA, agradeceu os envolvidos na iniciativa, em nome da Faculdade. “Para que esse projeto se tornasse realidade, tivemos o apoio da Reitoria, da Pró-Reitoria de Pesquisa da Unesp, Financiadora de Estudos e Projetos, a Finep, e a Fundunesp. Agradeço especialmente o envolvimento e o empenho da equipe comandada pelos professores Raetano e Regiane.”

Já o professor Graeff, pró-reitor de Pesquisa, também fez uso da palavra para agradecer e destacar o investimento significativo numa área fundamental para o controle biológico de pragas. “Agradeço muito a Fundunesp, na pessoa do professor Furtado, que foi fundamental para o gerenciamento desse projeto. Agradeço especialmente a professora Ana Paula Rosifini Alves Claro, que conduziu, ao lado de outras pessoas da nossa equipe, um trabalho bastante intenso da Pró-Reitoria de Pesquisa junto à Finep para viabilizar vários projetos da Unesp num momento de crise como o atual. É um investimento muito significativo em pesquisa, numa área de fundamental importância como o controle biológico de pragas, que tem chamado a atenção do setor privado. Parabéns ao grupo de pesquisadores que liderou essa iniciativa.”

Canal Futura e TV Unesp estreiam “E aí, cientistas?”

Quinta, 26 Novembro 2020 08:36

Série que estreia na próxima terça-feira traz episódios que aplicam os conceitos de Física e Química ao cotidiano dos jovens e à Agenda 2030 da ONU

 

Por TV Unesp

 

Marie Lavoisier e Albert Newton são os jovens protagonistas da série “E aí, cientistas?”, que apresenta os 17 objetivos do desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 da ONU e sua relação com o dia a dia. A partir da curiosidade e de um instinto de pesquisadores, o casal de irmãos, cujos nomes homenageiam famosos cientistas da história, cria um canal de vídeos para dialogar com o público jovem sobre suas descobertas e aprenderem juntos aqueles conceitos que parecem um “bicho de sete cabeças” na escola.

A produção da série é uma parceria do Canal Futura com a TV Unesp e consolida a defesa do acesso à educação para todos e todas e do protagonismo jovem na sociedade. “Para uma TV universitária, é fundamental contribuir para a discussão de temas tão relevantes como os da Agenda e ainda exercer um papel de formação com a aplicação dos conceitos de Física e Química em dinâmicas do cotidiano dos jovens”, afirma Mayra Ferreira, diretora e roteirista da série.

Para a produção dos 17 episódios, a série conta com a atuação de Luisa Colafatti e Igor Castellar, estudantes do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Técnico Industrial da Unesp em Bauru, que se envolveu na proposta desde o planejamento inicial, inclusive contribuindo na consultoria pedagógica. Professores e graduandos da Universidade, dos cursos de Física e Química, também auxiliaram para uma abordagem correta e coerente dos conteúdos e suas aplicações. O programa foi gravado nos estúdios da TV Unesp pela equipe técnica da emissora e possui identidade visual e trilhas originais que possibilitam a imersão na narrativa de descobertas científicas.

“E aí, cientistas?” estreia na terça-feira, dia 01/12, às 22h10 no Canal Futura e todos os episódios estão disponíveis no Futura Play.

 

Sobre a TV Unesp

A Fundunesp é responsável pela gestão financeira da TV Unesp, canal universitário fundado em novembro de 2011 com a responsabilidade de levar ao público informação e conteúdos de qualidade direto do estúdio da emissora em Bauru, no interior de São Paulo. Atualmente é exibida nos canais 46.1 em Bauru e nos canais 518 (Bauru), 13 (Botucatu) e 19 (Marília) da operadora NET/Claro. Também é possível acompanhar as produções no canal da emissora no Youtube: www.youtube.com/tvunesp.

 

Sobre o Futura 

O Futura realiza a distribuição multiplataforma de conteúdo e metodologias socioeducacionais por meio de um canal de televisão acessível em todo o país pela TV aberta, por satélite e por assinatura, e com atuação em vídeo on demand em plataformas próprias e de terceiros. Essa experiência associa inovação em educação aos recursos da cultura digital, levando a educação para todas as telas e explorando fronteiras da tecnologia com soluções que envolvem, dentre outros recursos, os jogos eletrônicos e os chatbots. 

É uma realização da Fundação Roberto Marinho e resultado da parceria entre organizações da iniciava privada, unidas pelo compromisso de investir socialmente e líderes em seus segmentos. Os parceiros mantenedores são SESI - DN e SENAI - DN, FIESP / SESI - SP / SENAI - SP, Fundação Bradesco, Itaú Social, Rede Globo e Votoranm. O Futura pode ser assistido a qualquer hora e em qualquer lugar via Futura Play (www.futuraplay.org). 

Fundunesp é premiada no III Congresso Confies

Segunda, 16 Novembro 2020 11:26

Programa de Compliance e Integridade da Fundunesp foi contemplado com o Prêmio Boas Práticas de Gestão das Fundações de Apoio

 

Por Neto del Hoyo – Assessoria de Imprensa da Fundunesp

 

O programa de implantação da Política de Integridade da Fundunesp, também conhecido como Programa de Compliance, ficou com o 2º lugar no “Prêmio Boas Práticas de Gestão das Fundações de Apoio” oferecido pela Confies (Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica). O projeto COOLabs – Cooperativa de laboratórios da UFMG para apoio ao combate à Covid-19, da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) de Salvador-BA, ficou com o 1º lugar. Os vencedores foram anunciados na última quinta-feira (12), no encerramento do III Congresso Confies, que nesse ano teve sua edição on-line.

Presidente da Fundunesp, o professor Edson Luiz Furtado celebra o reconhecimento do projeto para implantação de mecanismos de defesa anticorrupção.  

“É uma grande satisfação para nós, enquanto gestores e entusiastas desse projeto de compliance, pois valoriza a iniciativa e contempla todo esforço empregado por nossos colaboradores. A Política de Integridade da Fundunesp é um guia para a conduta ética, íntegra e transparente que norteia nossa Fundação, as pessoas que nela trabalham, parceiros e fornecedores”, afirma.

Gerente Administrativo e Financeiro, Joel Santana comemora a valorização do projeto e destaca que, mais que produzir um conjunto de normas, o objetivo da proposta é que a política de compliance seja incorporada à cultura da instituição.

“Passamos quase um ano debruçados nesse projeto, pois entendemos que se trata de um marco para a Fundunesp no que diz respeito à transparência e boa governança. Falar de compliance é falar de integridade e sabemos que ter mecanismos que garantam a transparência é essencial para que uma fundação de apoio possa exercer seu papel, transmitindo confiança e segurança. Agradecemos ao professor Max José de Araújo Faria Junior e a toda equipe que planejou, reuniu a documentação e implementou o projeto.”

 

Sobre o projeto

O Código de Ética e Conduta e o Regulamento do Comitê de Ética e Integridade da Fundunesp, que compõem o conjunto de normativas que norteiam a Política de Integridade implantada em todos os setores da Fundação, foram aprovados em Reunião Extraordinária do Conselho Curador no dia 24 de setembro, quando também foram aprovadas alterações em seu Estatuto e no Regimento Interno.

Com foco nas boas práticas, transparência e prevenção, a Política de Integridade da Fundunesp é construída internamente com intenso diálogo entre os setores e diretoria, além de auditoria externa.

O Comitê de Ética da Fundunesp aprovado pelo Conselho Curador é formado pelo professor e Vice-Presidente da Fundação, Max José de Araújo Faria Júnior (1º membro efetivo); pelo Gerente Administrativo e Financeiro Joel Santana (2º membro efetivo); e pelo supervisor de Recursos Humanos Sidney Lopes (3º membro efetivo). Completam ainda o Comitê os suplentes: Clodoaldo Soares Ferreira (Comprador Chefe e 1º suplente) e Gibesion Costa e Silva (Contador Chefe e 2º suplente).

 

Sobre o Confies

O Confies é uma associação civil com personalidade jurídica de direito privado sem fins lucrativos que agrega e representa centenas de fundações afiliadas em todo o território nacional.

TV Unesp completa nove anos de atividade

Quinta, 05 Novembro 2020 13:30

Em 2020, mesmo com a rotina alterada pela pandemia, canal universitário continuou trabalhando para levar informação de qualidade ao público interno e externo

 

Por TV Unesp e Assessoria de Imprensa da Fundunesp 

 

Em novembro de 2011, representando uma das maiores universidades do País, a TV Unesp entrava no ar com a responsabilidade de levar ao público informação e conteúdos de qualidade direto do estúdio da emissora em Bauru, no interior de São Paulo. Nove anos depois, a equipe se viu diante de um novo desafio: garantir a continuidade desse trabalho mesmo com as limitações impostas pela pandemia da Covid-19.

Uma tarefa que só foi completa devido à dedicação daqueles que fazem parte do canal universitário e que atuam para divulgação científica e esclarecimento da população neste momento, como destaca Francisco Machado, diretor da TV.

“Ninguém poderia imaginar que em janeiro de 2020 estaríamos atravessando esse aniversário trabalhando de forma remota, com isolamento social, distanciamento, longe dos nossos afazeres no dia a dia que tanto nos dão prazer. Mas conseguimos, ao longo desses seis ou oito meses de trabalho remoto, levar até toda nossa comunidade interna e externa os conhecimentos e os caminhos que nossos docentes e pesquisadores indicavam para que pudéssemos seguir e vencer essa batalha.”

No início do ano, a necessidade imediata de distanciamento social trouxe uma nova rotina para o canal, com jornalistas trabalhando de casa, gravando entrevistas remotamente e produzindo boletins para a programação da TV Cultura, de quem a TV Unesp é afiliada desde dezembro.

Presidente da Fundunesp, que é responsável pela gestão financeira da TV Unesp, o professor Edson Luiz Furtado, parabeniza a equipe da TV, por mais este aniversário e elogia o trabalho realizado pela emissora durante a pandemia e destaca que as conquistas recentes são fruto do conteúdo de qualidade produzido com profissionalismo.

“Para nós da Fundunesp é um motivo de orgulho poder fazer parte dessa história. Acreditamos no potencial e na importância da emissora e, por isso mesmo, procuramos desde o início criar alternativas para ampliar o seu alcance. Foi assim quando conseguimos a concessão de TV aberta para Botucatu e para Itapeva e o acordo de transmissão com Assembleia Legislativa de SP, com TV Câmara. Inaugurando em Botucatu, em abril de 2019 e, desde o início deste ano, quando firmou convênio com a TV Cultura, o que garantiu projeção nacional e levou a produção da TV Unesp para todo País.”

Neste segundo semestre, aos poucos estão sendo retomadas as gravações de programas no estúdio da TV Unesp em Bauru. Um caminho seguido com cuidado e com todas as recomendações de segurança e higiene indicadas pelos órgãos de saúde pública. “A pandemia ainda não terminou, não acabou, mas esperamos que em 2021, no décimo aniversário da TV Unesp, possamos comemorar juntos, nos abraçando”, completa o diretor da TV Unesp.

 

Serviço

A TV Unesp atualmente é exibida nos canais 46.1 em Bauru e nos canais 518 (Bauru), 13 (Botucatu) e 19 (Marília) da operadora NET/Claro. Também é possível acompanhar as produções no canal da emissora no Youtube: www.youtube.com/tvunesp

 

Link para matéria sobre os 9 anos da TV Unesp:

https://www.youtube.com/watch?v=o75H5oXSrig&feature=youtu.be

NOVEMBRO AZUL: Combate ao câncer de próstata

Terça, 03 Novembro 2020 14:21

Conheça os fatores de risco e veja a importância de cuidados gerais com a saúde masculina que podem fazer a diferença

 

 

 

 

 

Por Uniben – Saúde Ocupacional

 

Neste mês, inicia-se a campanha Novembro Azul com objetivo de conscientizar para o controle, prevenção e diagnóstico do câncer de próstata, além de alertar para a importância de cuidados gerais com a saúde masculina.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a estimativa é de 65.840 novos casos em 2020. Segundo o Atlas de Mortalidade por Câncer, com dados disponibilizados pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde (MS), em 2018, no Brasil, 15.576 homens morreram em decorrência da doença.

A próstata é uma glândula localizada na parte baixa do abdômen, do tamanho de uma noz, com peso de 20 a 25gr, responsável pela produção do líquido prostático, proteção e nutrição dos espermatozoides no sêmen, e está localizada logo abaixo da bexiga e à frente do reto.

Recomenda-se que os homens, a partir de 50 anos, procurem um profissional especializado, para avaliação, tendo como objetivo o diagnóstico precoce. Já os homens em grupo de risco, devem começar seus exames a partir dos 45 anos.

 

FATORES DE RISCO:

-Casos na família (hereditariedade).

-Alimentação (dieta rica em gordura e carne vermelha, pobre em legumes, vegetais e frutas).

-Sedentarismo e obesidade (estes pacientes tem o câncer mais agressivo)

-Taxas de estrogênio (quanto maior a taxa, maior o risco)

-Etnia (negros têm maior incidência, enquanto asiáticos apresentam menor)

-Região onde se vive (americanos têm mais câncer de próstata que asiáticos)

-Nível de poluição ambiental, assim como contato com derivados de borracha e substâncias como ferro, cromo, chumbo e cádmio

-Idade (quanto mais velho, maior a probabilidade)

 

PREVENÇÃO:

-Manter hábitos saudáveis é a melhor forma de prevenção

-Alimentação balanceada (frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais)

-Diminuir a ingestão de gordura ajuda a diminuir o risco de câncer

-Evitar comer embutidos e produtos ultraprocessados

-Praticar atividade física ao menos 30 minutos por dia

-Manter o peso ideal proporcional à altura

-Diminuir o consumo de álcool

-Não fumar

 

Previna-se, consulte seu médico e ajude a conscientizar a todos.

 



 : Rua Libero Badaró, 377 - 23° Andar - Conj. 2310 - Centro
     CEP 01009-906 - São Paulo - SP

 : (11) 3474-5300

 

   

 


Logo NEaD - Núcleo de Educação a DistânciaCustomizado por: NEaD - Núcleo de Educação a Distância da UNESP